• Jornal Digital ACDA

Atualização dária COVID-19 - 22 de junho


Hoje (22/06/2020) a infeção em Portugal parece ter diminuído se olharmos para os novos números de casos diários (apenas 259), mas isso é uma falsa sensação, porque continuamos com tendência de crescimento.

No que se refere ao número de mortes diárias, esses cresceram (mais 4 óbitos hoje) tal como anteriormente se tinha previsto, dada a entrada da infeção em lares da terceira idade e no IPO.


Totalizam-se hoje 39422 casos de infeção por SARS-CoV-2 em Portugal e 1544 óbitos. A letalidade diária continua baixa e tenderá a crescer nesta e próxima semana, se bem com um crescimento mais lento do que na primeira vaga.


Nos Açores, após 458 análises, não se detetaram novos casos de Covid-19. Isso serve de prova que “intensificar as análises” não implica aparecerem mais casos. Esses só aparecem quando há infeção.


No mundo teremos, provavelmente amanhã, 9 milhões de infetados, mas levará mais algum tempo a chegarmos ao meio milhão de óbitos. O decrescimento da mortalidade pode dever-se a melhores estratégias clínicas que vão aparecendo um pouco por todo o lado.


A 16 de junho, surgiu a notícia nos órgãos de comunicação social internacionais de que a Dexametasona, um medicamento corticosteroide que é usado no tratamento de diversas doenças, como reumatismo, doenças da peles, alergias graves, asma, doença pulmonar obstrutiva crónica, edema cerebral entre outras, também pode tratar alguns doentes com Covid-19. Esse estudo diz-se ter sido conduzido pela Universidade de Oxford e que se tal substância tivesse sido utilizada no Reino Unido, isso dito pelo próprio Boris Johnson, teria salvado 4000 a 5000 pessoas.


O que faz confusão é que a 19 deste mês a CNN fez uma reportagem sobre o sucesso da aplicação de corticosteroides no tratamento de doentes com Covid-19 em Portugal pelo Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central que engloba o Hospital Curry Cabral, Hospital Dona Estefânia, Hospital Santa Marta, Hospital Santo António dos Capuchos, Hospital São José e Maternidade Dr. Alfredo da Costa para provar que efetivamente o uso de corticosteroides é eficaz no tratamento da doença em alguns pacientes, tal como afirma a Universidade de Oxford.

Dá a entender que foram os médicos portugueses os primeiros a aplicar tal estratégia clínica com sucesso, no entanto, o mérito desta solução vai para a Universidade de Oxford. É muito estranho que isto não tenha sido publicitado e valorizado internamente e externamente, porque a nível de saúde todas as vidas interessam, ou então é resultado da desvalorização social da ciência que se faz em Portugal, como é muito habitual. Parece que precisamos sempre de alguém do exterior que reforce aquilo que dizemos para que algo se torne importante ou valioso.


Anexa-se o link da reportagem da CNN.


https://edition.cnn.com/videos/world/2020/06/19/portugal-coronavirus-covid-19-pandemic-steroids-treatment-pleitgen-pkg-intl-ldn-vpx.cnn


Texto: Félix Rodrigues

Foto: CNN

202 visualizações
acda_cubo.png

Associação para a Ciência e Desenvolvimento dos Açores
Canada de Belém

TERINOV - Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira - Sala B4

9700-702 Terra Chã, Angra do Heroísmo

NEWSLETTER

  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon
  • White Twitter Icon

© Associação para a Ciência e Desenvolvimento dos Açores