• Jornal Digital ACDA

Criar uma vacina contra o SARS-CoV-2: A Esperança

Na história da medicina, nunca uma vacina foi desenvolvida em menos de cinco anos. Entre as mais rápidas a serem desenvolvidas, estava a atual vacina contra a parotidite epidémica,

isolada de esfregaços da garganta de uma criança chamada Jeryl Lynn, em 1963. Nos meses seguintes, o vírus foi sistematicamente "enfraquecido" em laboratório por Maurice Hilleman.

Um vírus tão enfraquecido ou atenuado estimula uma resposta imunitária, mas não causa a

doença. Uma resposta imunológica do organismo humano protege-o contra infecções futuras com o vírus real. Os testes em humanos foram realizados nos dois anos seguintes e a vacina foi licenciada pela Merck em dezembro de 1967.

Os medicamentos antivirais também geralmente levam décadas para serem desenvolvidos e as combinações eficazes entre eles demoram ainda mais tempo.

Os primeiros casos de SIDA foram descritos no início dos anos 80. Levou-se mais de uma

década a desenvolver e validar a mistura de drogas altamente eficazes que agora são a base da terapia à infeção. Ainda se continuam a desenvolver novas classes de medicamentos contra o HIV, e infelizmente, não existe ainda vacina para essa doença.

No entanto, resultado da pandemia por SARS-CoV-2, o vírus que causa a doença Covid-19,

pensa-se conseguir criar uma vacina entre 12 a 18 meses.

Se tal for possível será sem dúvida o empreendimento científico mais importante das últimas gerações.

(Esta notícia é desenvolvida no New York Times Magazine de 9 de junho de 2020).


Texto: Félix Rodrigues


13 visualizações
acda_cubo.png

Associação para a Ciência e Desenvolvimento dos Açores
Canada de Belém

TERINOV - Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira - Sala B4

9700-702 Terra Chã, Angra do Heroísmo

NEWSLETTER

  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon
  • White Twitter Icon

© Associação para a Ciência e Desenvolvimento dos Açores