• Félix Rodrigues

Há mais de 20 anos que não se via um cometa a olho nu: Agora vemos o Neowise

O cometa Neowise é visível em qualquer parte do hemisfério norte a olho nu, inclusive nas cidades, desde que o céu esteja limpo.

Situa-se entre as constelações de Delphinus e a Ursa Maior, no lado oposto do "cabo da panela” que se pode imaginar ser a Ursa Maior.

Há mais de 20 anos que não se vê um cometa a olho nu, e o Neowise, nenhum de nós o voltará a ver. Trata-se assim de um espetáculo único e singular.

Vários fotógrafos tem-no captado nos Açores, como é o caso desta foto da autoria de César Filipe, que o fotografou desde a Praia da Vitória.

Nesta imagem dos céus Açorianos, o Neowise, de nome completo C/2020 F3 (NEOWISE), está na companhia da Estação Espacial Internacional, ao nascer do Sol Cesar.

Descoberto no final de Março pelo satélite NEOWISE da NASA, o cometa tornou-se visível a olho nu a 3 de Julho quando atingiu seu periélio, ou seja, o ponto de sua órbita mais próximo do Sol, neste caso a 50 milhões de km.


Texto de Félix Rodrigues


118 visualizações
acda_cubo.png

Associação para a Ciência e Desenvolvimento dos Açores
Canada de Belém

TERINOV - Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira - Sala B4

9700-702 Terra Chã, Angra do Heroísmo

NEWSLETTER

  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon
  • White Twitter Icon

© Associação para a Ciência e Desenvolvimento dos Açores