• Tomaz Ponce Dentinho

Quando é para entrar na Universidade o Bom Desempenho das Escolas conta

Nesta nota apresenta-se a evolução do desempenho das diversas escolas dos Açores nos exames nacionais do 12º ano que dão acesso às Universidades.

Nas Escolas de São Miguel é marcante o bom desempenho do Colégio do Castanheiro que em 2019 ultrapassa os 80% do melhor desempenho do país. Em torno dos 70% ficam a Antero de Quental e a Domingos Rebelo. Embora a um nível mais baixo há melhorias promissoras na escola da Povoação na Escola dos Arrifes. A Escola de Vila Franca que estava perto da Domingos Rebelo em 2017 teve um decréscimo considerável nos anos seguintes que importaria escrutinar. Ad Laranjeiras não apresenta melhorias e mantém-se num nível muito baixo.


A Terceira a única escola que está ao nível das melhores escolas públicas de São Miguel é a Tomás de Borba com boas indicações para melhorar. A Emiliano de Andrade, Praia da Vitória e Vitorino Nemésio estão ainda a um nível baixo, mas melhoraram significativamente em 2019. Pior desempenho tiveram as escolas que – por razões que a razão desconhece – passaram a ter secundário a partir de 2018. Certamente podem melhorar se virem estes gráficos.


Quem estuda nas outras ilhas tem, em média, menos possibilidade de entrar numa boa escola. O desempenho situa-se entre os 60% e os 65% das melhores escolas de Portugal. No entanto há indícios de melhoria da Lajes do Pico e na Horta. Curiosamente as Lajes do Pico é quem tem pior desempenho nos exames do 9ºano ao nível regional.


O que fazer? Primeiro, como para os exames do 9º ano, verificar o desempenho por disciplinas e indagar as causas controláveis que influenciaram a evolução do desempenho das escolas. Segundo premiar os professores das escolas que por um lado têm melhor desempenho e, por outro lado, melhoraram o desempenho. Vale a pena também pensar em premiar a escola das Flores com a possibilidade de dar 12º ano já que tem tão bons desempenhos no 9º ano (certamente será um motor de desenvolvimento da Ilha), desafiar as três novas secundárias na Terceira a fazerem melhor, e a reabrirem escolas que, entretanto, fecharam passando a profissionais para engano dos alunos e dos pais. encerramento de secundárias nas Capelas e, aparentemente também, na Ribeira Grande. Mais vale estarem no ranking e progredirem do que estar fora do jogo da educação. As profissões aprendem-se a trabalhar e nada impende que se organizem esses trabalhos como complemento de uma formação boa nas escolas com ranking.

59 visualizações