• Félix Rodrigues

Quando os USA ultrapassam o máximo de mortes admitidos por Trump, lá vem ele com meias verdades

O Presidente Trump afirmou hoje num comício, quando os Estados Unidos da América ultrapassam a marca dos 200 000 mortes por Covid-19, que a taxa de letalidade no país era das “mais baixas do mundo” e que o vírus “praticamente” não tem efeito nos jovens.

Esse valor de 200 000 mortes incomodam porque era o máximo que ele admitia e já o ultrapassou.

É parcialmente verdade e é parcialmente mentira o que Trump diz. A meia-verdade é sempre por definição uma mentira.

De facto as comparações são relativas pois dependem de com quem nos queremos comparar. Se se os USA se compararem com o Índia então é mentira o que Trump diz. Se se comparar com o Brasil, nem é verdade nem é mentira porque a letalidade é praticamente a mesma coisa.

Se Trump compara a letatlidade dos USA com a do Reino Unido ou da Itália, então os USA estão melhores. Mas se se compara com a Alemanha, está praticamente igual.

Se se comparar com a Rússia, Portugal, Japão, Noruega ou Grécia os USA estão bem piores.

Trump não está certo, porque não sabe o que é o mundo e que o mundo é composto por países grandes e pequenos.

A outra mentira é que o vírus não tem praticamento efeito nos jovens. Isso depende do conceito de jovem, mas aceita-se que ele possa estar a falar de crianças e adolescentes. Pois então, desses 200 000 mortos, 1375 foram crianças com menos de 4 anos. 611 crianças e adolescentes dos 5 anos aos 17 anos. Até aos 49 anos morreram 34 989 pessoas.

Com idades à volta da de Trump, morreram 27 502.



Félix Rodrigues

56 visualizações
acda_cubo.png

Associação para a Ciência e Desenvolvimento dos Açores
Canada de Belém

TERINOV - Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira - Sala B4

9700-702 Terra Chã, Angra do Heroísmo

NEWSLETTER

  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon
  • White Twitter Icon

© Associação para a Ciência e Desenvolvimento dos Açores