• Félix Rodrigues

StayAway Covid também funciona nos Açores e deve ser descarregado por cada um

Partilha-se notícia do jornal Diário Insular.

Os médicos do Sistema Regional de Saúde vão distribuir códigos de notificação de casos de Covid-19 que possam surgir nos Açores com o objetivo de alertar os contactos próximos desses doentes que tenham instalado a aplicação StayAway Covid. Uma fonte da secretaria regional de Saúde disse, ontem o DI, que a atribuição dos códigos para serem introduzidos na StayAway Covid na Região "foi devidamente articulada com as autoridades nacionais de saúde". Lançada a 1 de setembro, a aplicação StayAway Covid foi descarregada, até ontem à tarde, nos telemóveis por mais de 100 mil portugueses. A aplicação pretende identificar potenciais exposições a pessoas infetadas com Covid-19 e está disponível para "download" em sistemas de iOS e Android dos telemóveis. A utilização da StayAway Covid é voluntária, gratuita e anónima e a aplicação pretende funcionar como uma ferramenta complementar para conter a expansão da pandemia de Covid-19 em Portugal. Com a instalação da StayAway Covid no telemóvel, cada utilizador que tenha testado positivo poderá inserir o código do teste na aplicação. Depois da validação da direção-geral da Saúde, a aplicação irá alertar outros utilizadores que tenham estado próximos do utilizador infetado - durante 15 minutos ou mais -, sempre sem revelar a sua identidade, os seus contactos ou os de outros utilizadores. Quando não há registo de contactos de proximidade com elevado risco de contágio, a página inicial da aplicação apresenta uma cor verde que mudará para o estado amarelo sempre que o utilizador tenha estado próximo de alguém a quem foi diagnosticada a Covid-19. Segundo uma nota da direção-geral de Saúde, "todos os requisitos, recomendações e orientações da Comissão Nacional de Proteção de Dados foram consideradas e acolhidas. Só são partilhados os códigos das pessoas infetadas, que não permitem identificá-las, quando estas quiserem avisar aquelas com quem estiveram em contacto". Entretanto, a organização de defesa do consumidor Deco Proteste colocou reservas à instalação nos telemóveis da aplicação StayAway Covid, invocando a possibilidade de uso não-declarado e indevido de dados pessoais pela Google e Apple. "Não podemos recomendar a instalação da StayAway Covid sem reservas", refere a Deco Proteste num texto publicado no seu portal na internet. Segundo a Deco Proteste, o sistema de notificação GAEN "não segue o princípio da abertura de código e transparência sobre entidades envolvidas no tratamento de dados", pelo que "abre a porta para a possibilidade de terceiros, em particular as duas gigantes tecnológicas (Google e Apple), darem um uso não-declarado e indevido aos dados pessoais obtidos".

"Dever cívico" A apresentação oficial da StayAway Covid decorreu, na passada terça-feira, no Instituto Superior de Engenharia do Porto e contou com a intervenção do primeiro-ministro, António Costa e da ministra da Saúde, Marta Temido. Durante a sessão de apresentação da StayAway Covid, o primeiro-ministro, António Costa, disse que a instalação da aplicação deve ser entendida como um "dever cívico". "Entendam que é um dever cívico descarregar esta aplicação e sinalizarem se vierem a ser diagnosticados como testando positivo. Por favor descarreguem a aplicação, não tenham receio", pediu o primeiro-ministro na sessão que decorreu no Porto. Ontem, assinalaram-se seis meses deste do surgimento do primeiro caso de Covid-19 em Portugal (2 de março).Desde essa data, foram registados 1 827 óbitos associados à Covid-19 e 58 633 casos de infeção. Em relação a terça-feira, contabilizaram-se mais três óbitos, 390 infetados e 129 recuperados. Ao todo há já 42 233 casos de recuperação em Portugal.



33 visualizações
acda_cubo.png

Associação para a Ciência e Desenvolvimento dos Açores
Canada de Belém

TERINOV - Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira - Sala B4

9700-702 Terra Chã, Angra do Heroísmo

NEWSLETTER

  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon
  • White Twitter Icon

© Associação para a Ciência e Desenvolvimento dos Açores